E o deserto florescerá…

23 de junho de 2014

“Então os coxos saltarão como cervos, e a língua dos mudos cantará; porque águas arrebentarão no deserto e ribeiros no ermo. E a terra seca se tornará em lagos, e a terra sedenta em mananciais de águas; e nas habitações em que jaziam os chacais haverá erva com canas e juncos.” Isaías 35:6-7

No Nordeste brasileiro se concentra a grande parte da população brasileira e o Sertão brasileiro, onde se encontra a beleza de um povo acolhedor, trabalhador, de “raça”, mas é onde encontramos pobreza e miséria, coronelismo, comunidades quilombolas esquecidas, a  seca e escassez de recursos.

Ita Porto, da organização cristã Diaconia,  disse que:  “A falta de chuvas em períodos prolongados como o dos últimos 3 anos é considerado um desastre ambiental, considerado um dos piores dos últimos 50 anos. Segundo o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) já são cerca de 1.200 cidades espalhadas em nove Estados que já declararam situação de emergência. São 22% dos municípios do Brasil e quase 10 milhões de pessoas afetadas pelas secas na região. Todos os estados que compõe o semiárido nordestino estão passando por grandes dificuldades. Pernambuco, por exemplo, é o estado com maior número de municípios atingidos. Segundo a Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento), dos 185 municípios do Estado, 151 estão com algum tipo de déficit no abastecimento. Desses, 16 estão em colapso, sendo abastecidos por carros-pipa”.

Mas somente as chuvas não resolveriam o problema do sertão de escassez, pois falta um projeto de desenvolvimento sustentável que conseguiria prover qualidade de vida e bem estar a essa população e o reaproveitamento da água. O pesquisador Fonseca Neto, professor da Universidade Federal do Piauí (UFPI), nos lembra que: “Dom Pedro II afirmou que venderia as joias da coroa para resolver o problema. O fato ocorreu em decorrência da grande seca ocorrida no Nordeste em 1877. Isso demonstra que o problema é falta de vontade política para dar uma solução de convivência com um fenômeno natural e previsível.”

“Vou dizer uma obviedade, mas, às vezes, as obviedades nos ofuscam. Nunca se quis resolver esse problema porque a seca é um fenômeno natural, previsível, cíclica. Os índios que antecederam a nós se mudavam de um lugar para outro no tempo que apertava. Não se resolve porque não quer”, comentou o pesquisador. Dessa dura constatação se desenvolveu uma nociva “Indústria da Seca“, que serve às eleições dos políticos e mantém o povo num patamar de subserviência a essa indústria. Encontramos exploração dos carros-pipa, com valor muito acima da média.

Certa vez, estivemos na cidade de Caridade, no estado do Piauí, com uma equipe missionária, onde encontramos uma casa com cisterna lacrada com correntes e cadeados, ao perguntarmos o porquê daquilo, a dona da casa nos disse que tinha medo de outras pessoas a roubarem, tamanha a escassez de água no local. Nessa cidade, também encontramos o  “jumento-pipa” que servia para abastecer algumas casas com água, em sua maioria não potável. Infelizmente, os poderosos ainda tratam o problema como uma mera máquina eleitoral que gira em torno do sofrimento alheio. As políticas públicas para o sertão são tratadas como políticas de emergência que acabam fortalecendo um ciclo que  conserva a estrutura política.

O que nós como igreja de Jesus podemos fazer? Devemos nos posicionar, orar e denunciar esse problema no sertão. A igreja, como povo e não apenas como instituição, deve prover uma solução criativa e cobrar dos representantes uma medida sustentável para acabar com essa indústria da seca no Sertão. Devemos também expressar o amor de Deus a esse povo tão sofrido e mostrar através de uma missão encarnacional e servidora que Deus não se esqueceu deles.

Oremos a Deus para que as ordens e estruturas do mal sejam abaladas e que se levante um povo justo. E que nosso Senhor possa está provendo e dando influência a organizações missionais e de serviço cristão como: Rede FALE, ABU, JUVEP, ACEV, DIACONIA, MISSÃO LIVRES, PROJETO MAIS ÁGUA, ÁGUA LIMPA, PARALELO 10, TEARFUND, TSO e entre outras que tem se doado pelo sertão e encarnado o evangelho de Cristo em meio a tanto caos.

 

Texto escrito por Wesley Lima, 21 anos, piauiense, aperriado, apressado e arretado. Gosto de tecnologias, leituras, escutar boas músicas, teologar, dialogar e provocar a igreja. Graduando de ciência da computação, missionário pelo GerAÇÃO TSO, articulador no Piauí da Rede FALE e etc… Tenho desenvolvido uma caminhada missional, cooperando com ações missionárias no Piauí e sertão nordestino e captação de recursos para desenvolvimento comunitário.

Faça seu comentário Cabra da Peste


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

OsCabraCast © 2015